António Coelho fez esta firmação durante o III workshop regional das organizações da sociedade civil sobre o reforço do sistema de saúde comunitário em Angola, que decorre desde terça-feira na província do Cuanza Norte com a participação ainda das províncias do Uíge, Malanje, Lundas Norte e Sul.

O responsável admitiu que o número de cidadãos que praticam a contaminação consciente do VIH/Sida no país tem estado a crescer, facto que concorre, igualmente, para o aumento de seropositivos, o que constitui uma preocupação das autoridades sanitárias.

Outros factores que comprometem as acções de combate ao HIV/Sida, fez saber, são a alta taxa de abandono ao tratamento da doença, actualmente cifrada na ordem dos 24 por cento, bem como a transmissão vertical do vírus do VIH, da mãe para o filho, estimada em cerca de 22 porcento.

Referiu que no conjunto de 100 mães seropositivas que dão à luz, 24 bebés nascem contaminados com o vírus, facto igualmente preocupante.

Para tal, António Coelho advogou a necessidade de um maior controlo das mulheres grávidas portadoras da doença, nas comunidades, no sentido de aderirem ao tratamento do corte de transmissão vertical, a fim de se evitar a transmissão do vírus da mãe para o filho.

O certame tem por objectivo capacitar os participantes com conhecimentos sobre matérias para o reforço do sistema de saúde comunitária no país, bem como  o reforço da capacidade das comunidades com ferramentas para darem respostas adequadas sobre os aspectos ligados à malária, tuberculose e VIH/Sida.

Com término previsto, ainda, para esta quarta-feira, o evento aborda temas como “O saneamento básico”, “Uso das redes mosquiteiras”, “Eliminação dos criadores de mosquitos”, “ A qualidade dos serviços que se oferecem a nível dos hospitais sanatórios e dispensários de tuberculose” e “Os dotes comunitários no acompanhamento dos doentes do domicílio às unidades sanitárias”, entre outros.

Na terça-feira, o vice-governador para o sector técnico e infra-estruturas, Mendoça Luís, referiu, durante os trabalhos do fórum que o seminário ajudará a mitigar os problemas ligados a malária, tuberculose e VIH/Sida, apoiando assim os programas do Executivo ligados ao combate a essas doenças.

O encontro que decorre no Hotel Camuaxi realiza-se sob o lema: “Saúde centrada no indivíduo e na comunidade”, e é promovido pela  Rede Angolana das Organizações de Serviços de Sida (ANASO), em parceria com a ong “World Vision” (Visão Mundial), num  patrocínio do Fundo Global.