Essa informação foi avançada hoje, quinta-feira, à Angop, pelo supervisor provincial do Programa da Luta Contra Sida da Huíla, Levy Gomes, tendo referido que no período em análise a doença causou a morte a sete crianças, 179 mulheres e 67 homens, com idades até aos 50 anos.

Apontou o estigma e o abandono do tratamento com anti-retrovirais como as principais causas dos óbitos na região.

Fez saber que no período em causa foram diagnosticados 1.543 novos casos da doença.

No primeiro semestre deste ano o Programa de Luta Contra a SIDA distribuiu 703 mil 638 preservativos, além de folhetos e outras brochuras sobre as formas de prevenção e alerta sobre o perigo da doença.

Os serviços de Saúde da província da Huíla estão a acompanhar 7.333 pacientes portadores do HIV/SIDA, que têm beneficiado de tratamento à base de anti-retrovirais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.