1. Smoothies

Fruta batida, leite, água e açúcar. A mistura parece inofensiva e quase que rima com saudável. Só que não. Alguns smoothies contêm 600 calorias, estão cheios de açúcares e são uma autêntica bomba calórica. Por outro lado, batidos com mais do que um tipo de fruta podem ser perigosos para o organismo devido à mistura de açúcares naturais, oque nem sempre é saudável, sobretudo se precisa de emagrecer.

2. Água com sabores

As águas com sabores adicionados e doses extra de vitaminas para além de tão calóricas como alguns refrigerantes e sumos, podem estar cheias de açúcar. Se quiser manter-se saudável e dar sabor à sua água, acrescente-lhe uma rodela de limão ou de laranja ou até alecrim.

3. Granola

Há muitas combinações de granola: com mel, frutos vermelhos, passas e vários tipos de sementes e frutos secos. Dependendo de como foi confecionada, 100 gramas podem conter 500 calorias. A granola pode ser uma excelente fonte de hidratos de carbono, proteínas e fibras, mas quando ingerida em excesso pode não ser a sua melhor aliada na perda de peso.

4. Massa sem glúten

Vários estudos de mercado sugerem um aumento da procura de produtos sem glúten e sem lactose. Alguns nutricionistas dizem que é moda. Algumas opções isentas de glúten são compensadas com farinhas pouco nutritivas e gorduras adicionadas para dar sabor. A menos que tenha indicação médica, não opte por uma alimentação sem glúten.

5. Húmus pré-feito

Se for feito na hora, lambuze-se até ao fim. Agora se compra húmus enlatado ou enfrascado, não está a zelar pela sua boa forma física. O humus tem um prazo de validade inferior a um dia quando preparado de forma natural. Se os enfrascados podem durar meses, pense nos corantes e conservantes que lhes foram adicionados.

6. Cereais enriquecidos

Para além de processados, alguns cereais de pequeno-almoço vendidos como saudáveis são ricos em hidratos de carbono sob a forma de açúcar e são excessivamente calóricos. Devem, por isso, ser consumidos de vez em quando e não como rotina. Na hora de adquirir os seus cereais compare rótulos e opte pelas versões com mais fibra e proteína.

7. Sushi

Tem peixe, tem algas e vegetais e tem arroz. O sushi parece uma refeição saudável, mas só o é quando consumido moderadamente. Sabia que seis peças de camarão frito podem equivaler a 600 calorias? Creme de queijo, molho doce, maionese e massa frita são outros exemplos de como estes ingredientes ‘calóricos podem transformar a comida japonesa numa opção pouco saudável.

8. Peixe enlatado

As conservas de peixe são uma boa forma de ingerir este alimento saudável, mas não abuse. As conservas são mais calóricas, têm maior adição de sal e gorduras e contêm conservantes. Um estudo da Universidade de Harvard detetou níveis prejudiciais de Bisfenol A na urina de pessoas que consomem estes alimentos regularmente. Este químico é considerado um disruptor endócrino e é tóxico, aumentando o risco de alguns tipos de cancro.

9. Fruta desidratada

Algumas frutas desidratadas têm mais açúcar do que gomas e rebuçados. Quem o diz é a Action on Sugar, uma ONG britânica que tem alertado para o açúcar escondido em alimentos. Um terço das quase 100 embalagens de fruta desidratada analisadas por esta organização possuia o equivalente a três ou quatro colheres de chá de açúcar e 85% tinha mais açúcar do que uma conhecida marca de gomas alemã.

10. Chá enlatado

Já olhou para os açúcares no rótulo? O seu chá enlatado é um facada na dieta. Está repleto de hidratos de carbono sob a forma de açúcar, altamente prejudiciais à saúde. Uma lata pequena contém o equivalente a 20% da dose diária recomendada deste tipo de nutriente. Faça as contas.

11. Chips de vegetais

Que as batatas fritas faziam mal, todos sabíamos. Mas surgem novas versões cada vez mais apelativas de produtos industrializados aparentemente inócuos, mas carregados de sal e gorduras. É o caso dos chips de cebola, ervilha, milho, beterraba, batata doce, abóbora e por aí fora.

12. Queijo vegan

Por mais que goste de queijo, mas não consiga trair a sua dieta vegan, não alinhe neste tipo de alimentos. São altamente processados, com aditivos de textura, sabor e cor. São uma boa dose de químicos.

13. Azeite

Contém gorduras saudáveis, mas quando aquecido a altas temperaturas pode ser prejudicial. Se abusa dos refogados, deixe-se disso. Quanto mais se queima o azeite, mais saturado e oxidado fica. Apesar do azeite suportar temperaturas altas, estas provocam transformações físico-químicas neste aliado da saúde cardiovascular. E não se esqueça: a Organização Mundial de Saúde inclui os alimentos queimados na lista dos produtos altamente cancerígenos.

14. Saladas pré-preparadas

Quando encomenda saladas num restaurante ou numa loja, corre o risco de lhe serem adicionadas maioneses e molhos altamente calóricos e com sal excessivo. Opte por preparar as suas próprias saladas e escolha molhos magros, com pouca gordura. Se vai ser o seu almoço, adicione frango, atum ou algum alimento rico em proteínas, essenciais ao correto funcionamento dos músculos e à sensação de saciedade.

15. Alimentos sem gordura

Os alimentos rotulados sem gordura - e obviamente não estamos a falar nem de fruta nem de legumes - podem conter calorias nocivas sob a forma de açúcar ou outros ingredientes prejudiciais. Não compre produtos "light" ou "diet" sem confirmar também a rotulagem no que toca a proteínas, fibras, sódio, vitaminas e minerais.