Existe a crença generalizada de que os alimentos em cru são, à partida, sempre melhores para a saúde. Mas se, no caso dos vegetais, das hortaliças, das frutas e dos legumes, tal afirmação tem fundamento, também é verdade que nem todos os alimentos podem ser ingeridos desta forma. Alguns deles têm potenciais riscos que importa controlar. Saiba os que deve comer sempre crus sem problema. Os alertas e as recomendações da nutricionista Iara Rodrigues que deve passar a adotar no dia a dia.

Legumes e vegetais

Desde que bem lavados, alimentos como a a couve-flor, os bróculos, a couve-roxa, a beterraba e os rebentos de soja não apresentam perigo. São fáceis de comer crus, seja em saladas ou em batidos. Na verdade, só beneficiaríamos em comer todas as couves de talo cruas pois são nutricionalmente muito ricas. Se não for capaz, experimente cozer a vapor ou sob a forma de sopa, já que as vitaminas são todas aproveitadas. A dose certa é uma taça almoçadeira de cada um, pelo menos, uma vez por semana.

Fruta

Prefira-as cruas e, sempre que possível, com casca, como a pera, a maçã, e o pêssego, por exemplo, uma vez que é nessa que se concentra muita da fibra destes alimentos. Os frutos vermelhos, como as framboesas, são excelentes. Deve consumir apenas duas a três peças por dia. Para os frutos vermelhos, meia chávena por dia.

Frutos secos

Quase todos ajudam a diminuir os níveis de LDL, o mau colesterol, mas só se forem comidos crus. A partir do momento em que são cozinhados, fritos por exemplo, a cerca de 170º C, libertam um óleo nocivo que provoca doenças cardiovasculares. Evite-os em versão snack, fritos e muito temperados. Nozes, avelãs, amêndoas e macadâmia são boas opções. A dose certa são três a quatro unidades por dia.

Sementes

A inclusão de sementes de sésamo, de papoila, de chia, de abóbora ou de linhaça, por exemplo, numa dieta é altamente recomendada, uma vez que, só para ter uma ideia, quatro colheres de sopa de chia fornecem a mesma dose de cálcio de três copos de leite, por exemplo. Acrescente-as em saladas, iogurte, salada de fruta ou batido. A dose certa são quatro colheres de sopa por dia.

Alho

É um superalimento. Em cru, produz uma enzima que protege o nosso ADN, mas basta um minuto de confeção para que seja neutralizada. Uma boa opção é picá-lo fininho e misturá-lo em saladas. De consumir 20 gramas por dia, no máximo.

Pimento cru

Coma o pimento cru. Tem muita vitamina C, que é destruída quando entra em contacto com a água quente.

Saboreie sem correr riscos

Há alimentos que exigem um cuidado extra quando consumidos crus. Veja alguns exemplos, indicados por Iara Rodrigues, nutricionista:

- Sashimi

Deve ser temperado com wasabi e molho de soja, de forma a neutralizar os parasitas que o peixe possa conter. Escolha restaurantes ou pontos de venda nos quais tenha total confiança.

- Carpaccio de carne

Apesar de cruas, são tiras muito finas, embaladas quase a vácuo e com um controlo de qualidade apertado. À partida, não apresentam riscos para a saúde. Depois de aberta a embalagem, deve ser consumido em dois dias, pois poderá oxidar.

- Bife tártaro

Normalmente, é temperado com muitas pimentas e alho cru, precisamente para diminuir grande parte da sua contaminação. Confecione em casa ou coma-o num restaurante que lhe mereça confiança.

- Gemadas

São de evitar. Os riscos do consumo de ovos crus são grandes, especialmente se forem caseiros, não pasteurizados. A bactéria salmonela provoca intoxicações graves que podem ser fatais.

Texto: Paula Barroso e Luis Batista Gonçalves com Iara Rodrigues (nutricionista)

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.