O que é e como se transmite?

A malária é uma doença tropical frequente e grave, causada por parasitas do género Plasmodium. Existe mais de uma espécie deste parasita que pode causar doença no homem.

A malária é uma das doenças infecciosas mais mortais do mundo.  Os casos mais graves estão habitualmente associados ao parasita Plasmodium Falciparum. A doença é transmitida ao ser humano pela picada da fémea infectada do mosquito Anopheles.

Onde existe esta doença?

A malária é endémica em regiões tropicais e subtropicais ao longo de uma longa faixa em redor do equador, existindo em diversos países da África subsaariana, Ásia e América Latina.

O risco de um viajante poder vir a contrair a doença varia de país para país e dentro de cada país, de região para região.

Qual o período de incubação?

O período mínimo de incubação corresponde a 7/8 dias, podendo ser mais longo (habitualmente 1 mês). O período de incubação entre a picada do mosquito infetado e o inicio dos sinais e sintomas depende da espécie de parasita.

Quais os sintomas sugestivos de malária?

As manifestações iniciais da doença podem ser semelhantes aos de uma  gripe.  Os sintomas mais comuns são:

Febre acompanhada de arrepios de frio, seguidos de calor intenso e suores abundantes (podendo existir reaparecimento de febre com intervalos de 2 a 3 dias); dores de cabeça, fadiga dores musculares, falta de força, falta de apetite, enjoos ou icterícia moderada.

No caso de suspeita de malária, o que fazer?

Se o viajante estiver numa zona endémica ou se dela tiver regressado recentemente,  deve procurar assistência médica imediatamente ao apresentar qualquer sinal ou sintoma suspeito.

O viajante deve assim procurar imediatamente um serviço de urgência e referir sempre o país de onde regressou.

As principais medidas de prevenção para reduzir o risco de malária:

- Medidas para evitar a picada de mosquitos;

- Medicação preventiva (quimiprofiláxia).

Algumas  medidas para evitar as picadas de mosquitos:

- Utilizar repelente de insetos nas partes do corpo expostas a possíveis picadas (cara, mãos, pescoço, tornozelos) durante o período ativo do mosquito (entre o pôr e o nascer do sol) e repor o mesmo com frequência (de acordo com indicação médica);

- Utilizar roupas largas e de cor clara para diminuir a exposição corporal à picada (mangas comprida, calças e calçado fechado);

- Mediante aconselhamento, aplicar permetrina em roupas e calçado (não aplicar permetrina diretamente na pele);

- Sempre que possível permanecer em locais com ar condicionado a uma temperatura fresca (<20º);

- Utilizar redes mosquiteiras nas janelas e portas;

- Utilizar difusores elétricos ao entardecer.

Algumas considerações sobre  medicação preventiva da malária:

A quimioprofilaxia da malária deve ser orientada para as características do viajante e da viagem que o mesmo irá realizar.

Existem diversos medicamentos destinados à prevenção da malária disponíveis para os viajantes que se dirijam para zonas/regiões onde a malária é endémica. Este aconselhamento deve ser feito na consulta do viajante e procura diminuir a probabilidade da ocorrência de formas clínicas graves e possibilidade de ocorrência de morte devida à infeção por Plasmodium Falciparum.

Os viajantes que se deslocam para zonas onde existe risco de vir a contrair malária devem estar conscientes sobre o grau de risco que correm.

As explicações são da médica Gabriela Saldanha e não dispensam a Consulta do Viajante.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.