A ministra Agnès Buzyn, em conjunto com a ministra da Transição Ecológica, decidiu relançar o inquérito para ter "olhares cruzados" de peritos médicos e da área ambiental.

“Não podemos ficar satisfeitos ao dizer que não encontrámos qualquer causa, é insuportável”, declarou a ministra da Saúde numa entrevista ao programa Grand Jury, da RTL – Le Figaro.

Na região de Ain foram registados entre 2009 e 2017 sete casos de bebés que nasceram sem braços, no Loire Atlantique houve três casos entre 2007 e 2008 e na Bretanha ocorreram quatro nascimentos entre 2011 e 2013.

Após uma primeira investigação, a agência de saúde pública francesa concluiu no início deste mês que o número de casos em Ain não era estatisticamente superior à média nacional.

Já em Loire Atlantique e na Bretanha haverá um excesso de casos, mas permanecem sem explicação.

Após uma primeira pesquisa, a agência de saúde France Public Health concluiu no início de outubro que o número de casos de Ain não era estatisticamente superior à média nacional. Pelo contrário, há, segundo a mesma entidade, um excesso de casos em Loire-Atlantique e na Bretanha, mas que permanecem sem explicações.

Segundo o Ministério da Saúde francês há no país entre 80 e 100 nascimentos por ano com malformações nos membros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.