Falando à Angop, no final da gala em que foi coroada Miss Catumbela entre sete candidatas, Madalena Garcia sublinhou as consequências nefastas do consumo de drogas e apontou a fuga à paternidade e a desestruturação familiar como efeitos da violência doméstica.

A também estudante da 10ª classe do curso de Informática e Gestão disse que deseja realizar palestras em escolas, igrejas e mercados paralelos, de forma a desencorajar a sociedade a não enveredar pelo consumo de drogas nem acções criminosas na família.

Durante a 3ª edição do concurso Miss Catumbela, o corpo de jurado, liderado por José Valongo, elegeu também como 1ª Dama de Honor Ana Viemba, tendo Celestina Tuvila sido distinguida 2ª Dama de Honor e Miss Fotogenia.

Substituta de Alcina António, a nova Miss Catumbela 2018, que ainda levou o título de Miss Simpatia, recebeu como prémio um kit da operadora de televisão por satélite DSTV com três meses pago, telemóvel, curso de inglês básico e um ano de tratamento em estética num salão de beleza.

Já o presidente do Comité Miss Catumbela, Osvaldo Chaves, lamentou ter havido uma fraca participação de candidatas na edição 2018, situação que se deveu à falta de apoio das empresas, sobretudo as instaladas no Pólo de Desenvolvimento Industrial da Catumbela (PDIC).

Presenciada pelo administrador municipal da Catumbela, Julião Almeida, a terceira edição deste concurso de beleza foi realizada na praça 1º de Maio, a céu aberto, tendo sido animada pelo músico Firmino Tula e pelo humorista Bebão Cambaio.

A 1ª edição, realizada em 2016, foi ganha por Felismina Kativa, ao passo que Alcina António entrou para a galeria das mulheres mais belas da Catumbela na 2ª edição, em 2017.