Lugar para se estar no fim de semana passado em Ndalatando, foi no Hotel Camuexi, pois não é todos os dias que se elege a Miss Kwanza-Norte.

A unidade hoteleira baptizada com nome da localidade em que se encontra, o Camuexi, acolheu a gala para eleger a mulher mais bonita da província.

Num jantar intimista, os convidados desfrutaram o momento ao som da banda folclórica Krisgunza. Outro talento local, a girlsband "As Minage", subiram ao palco.

Doze candidatas de vários municípios foram apresentadas à plateia, por meio dos apresentadores da noite, Sérgio Rodrigues e Yara Mosquito.

Como todo concurso de miss, desfile de dança tradicional e em fato de banho, as participantes cumpriram a praxe habitual. Ao terminar, Wilsa Joaquim arrebatou o título de Miss Simpatia e Sílvia Pereira , o de Miss Fotogenia.

Ao saírem as primeiras  "coroadas de fresco", para desanuviar e animar, Telma Lee "viciou" a plateia ao cantar    "Arrependimento", "Meu vício" e "Acaba de me matar". A cantora, explicou que a província tem um lugar especial no seu coração: "Quero agradecer por estar aqui e dizer que estou muito feliz, esta é a terra da minha mãe, Maria da Costa".

Kyaku Kyadaffi, deu o ar da sua graça em palco, na terra onde passou uma parte da sua vida. "Bibi" e "Sete rosas" estavam na boca do público.

As doze esperançosas ao título de mais linda do Kwanza-Norte  desfilaram mais uma vez trajando vestidos de gala em pano africano. Assim foram escolhidas oito candidatas para a fase seguinte, onde foram feitas perguntas de cultura geral. Houve deslizes e acertos, como é de se esperar, cada uma estava à um passo de distância de tornar o seu sonho em realidade.

Pausa para suspense, o júri já tinha o veredicto e só faltava dar a conhecer ao público, que pela altura do campeonato tinha a sua favorita. Yara Mosquito e Sérgio Rodrigues tentaram "atrasar" o momento mais esperado, mas era escusado. Eis que se anunciou o resultado, Suzana Coxe foi coroada Miss CPLP Kwanza-Norte. À Ana Dumbo coube o título de segunda dama de honor e Elsa Pedro tornou-se primeira dama de honor, respectivamente.

Entretanto faltava conceder a vencedora por direito e beleza, o título mais cobiçado da noite. A plateia, gritava o número da candidata favorita. Havia uma certa disputa entre a participante número sete e oito. Sem mais demoras, o nome de Valentina da Silva, candidata número oito foi chamado. A jovem de 19 anos tornou-se Miss Kwanza-Norte 2016.

Além de vencer o título da mais bela do Kwanza-Norte e representar a província no Miss Angola, Valentina da Silva levou como prémio, um automóvel e o valor monetário equivalente a 440 mil Kwanzas.

Texto: Cláudia Simões

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.