Quem até domingo for até à Feira Internacional de Luanda ( FIL) vai poder desfrutar de momentos de moda únicos, através do cruzamentos de tendências e estilos repletos de africanidade e traços da cultura universal, que num espaço de seis mil metros quadros se mostram à apreciação dos visitantes ao evento cuja abertura aconteceu sexta-feira.

A primeira estilista angolana a inaugurar o certame foi Dina Simão, que com uma rainha elevada por escravos fez uma entrada em grande estilo. As modelos estavam por trás ao fundo da passerelle enquanto trajavam biquinis e trajes de gala. Os padrões de biquinis eram em zebra e tigresa e apesar da tendência afro existiam apontamentos mais modernos.

Duas modelos que causaram furor destaque para Cael Pascoal, Roberta Narciso e Marisa Lourenço. Na passarelle, Mia Mendes teve uma entrada pouco habitual mas muito glamourosa com música clássica e ballet tradicional. Os padrões dos vestidos eram inspirados na cultura tchokwe - referente à cultura dos Lundas. Em termos de acessórios, Mia Mendes explorou lenços de seda com padrões africanos pouco garridos, ideais para saídas descontraídas mas também para algumas ocasiões de gala.

A modelo Nayma Mingas homenageou o tio e padrinho André Mingas falecido esta semana ao enviar um beijo para o céu. Thato, do Botswana, por seu turno, apresentou um desfile inspirado nos anos 20, cigarros na mão e ao som do twist com algumas peças muito sexys. Black Trash teve uma apresentação impactante pautada por palmas constantes.

Jophes 09267 mostrou vestidos longos, acetinados e brilhantes, pretos e justos. Da Etiópia, a marca Mafi trouxe decotes caídos e sapatos plataformas. Vindo da África do Sul, Dax Martin apresentou uma colecção de praia unissexo com alguns apontamentos afloreados em tons de brancos, azuis e vermelhos. O modelo brasileiro Bruno trouxe algum furor à feira angolana.

Sara Almeida regressou no tempo numa viagem até ao século passado. Em tons de bege e castanho, a moçamibicana veio representar a pérola do Índico. A marca Kosibah, pelo nigeriano Yemi, seguiu na noite e fechou o espectáculo com vestidos de noiva e e de gala. Um dos vestidos mais surpreendentes misturava o singelo com o não convencional: branco, cai-cai, comprido e com cauda com flores pretas.

Nayma Mingas elogiou a organização do FBA e aconselhou a Europa a estar atenta mais a África. Para a modelo 'Angola é muito fashion'. O after party foi no recinto da FBA com Dj Black Coffe e com os irmãos Ricardo e Paulo Alves.

Veja as fotos do primeiro dia da 2ª Fashion Business Angola

Entrevista da estilista Mia Mendes

15 de Outubro de 2011

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.