Christian Dior, Alexander McQueen, Hussein Chalayan e Gucci foram algumas das casas que criaram os desfiles mais memoráveis de todos os tempos. Desde orquestras, bailarinos, figurantes, concertos surpresa, até móveis vestíveis, o mais importante é dar asas à criatividade e proporcionar momentos inesquecíveis a quem assiste. Veja alguns dos melhores e mais memoráveis desfiles e deixe-se encantar!

Christian Dior Primavera/Verão 1998

John Galliano viajou até aos bailes imponentes do século XX para apresentar as suas criações para o verão de 98. O desfile aconteceu na escadaria da Opera Ganier, em Paris, onde a magia aconteceu. O criador juntou uma orquestra, dançarinos de tango e dezenas de figurantes, vestidos como personagens de algumas das melhores óperas do mundo, tornando este desfile num dos mais épicos da história da casa Dior.

Hussein Chalayan Outono/Inverno 2000

Uma conversa com a sua mãe sobre os conflitos que ocorreram no seu país em 1960, levou o designer a refletir como poderiam as pessoas que viviam num local de guerra, levar os seus pertences com facilidade e rapidez. Foi então que criou a coleção 'Afterwords', onde peças de mobiliário se transformavam em vestuário. Sofás que se tornavam em vestidos e malas ou mesas que poderiam ser utilizadas como saias, foram algumas das peças apresentadas.

Alexander McQueen Primavera/Verão 2004

Conhecido pela sua excentricidade, o criador utilizou o salão de dança parisiense do século 19, Salle Wagram, para realizar o seu desfile. Convidou modelos e dançarinos para vestirem as suas criações e rapidamente a passerelle se transformou numa pista de dança com a ajuda de Michael Clark, que criou toda a coreografia.

Christian Dior Primavera/Verão 2019

Maria Grazia Chiuri, atual diretora criativa, inspirou-se em Isadora Duncan e Pina Baush para criar um bailado ao som dos coordenados que apresentou para a estação quente. Com autoria da coreógrafa israelita Sharon Eyel e ao som das batidas techno do DJ Ori Lichtik, bailarinas mexiam os seus corpos em movimentos giratórios e quase demoníacos.

Gucci Primavera/Verão 2019

Coordenados cintilantes, linhas vintage, padrões, franjas e silhuetas contemporâneas, marcaram a estreia da Gucci em Paris. O aclamado Le Palace, teatro que durante as décadas de 70 e 80 se dedicou à moda, cultura, música e culturas underground, transformou-se numa passerelle onde a marca mostrou a sua coleção e contou com a presença de Jane Birkin, um dos nomes mais importantes da cultura francesa, que cantou 'Baby Alone in Babylone' para encerrar o desfile.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.