De acordo com uma nota enviada ao SAPO, com referências a Grabrielle Chanel e Karl Lagerfeld, o Grand Palais foi transformado num cenário alusivo ao apartamento de Coco Chanel, no número 31 da Rua Cambon, dando nome à colecção “31 Rua Cambon”.

“Não precisamos de fazer muito. Não queria fazer as habituais viagens de longa distância para apresentar a colecção Métiers d’Art, queria ficar em Paris. Então tivemos que pensar numa maneira de fazer as coisas. Foi aí que pensámos nos códigos que Gabrielle Chanel inventou e que Karl Lagerfeld tornou sublimes”, afirmou Virginie.

Casacos tweed, fitas de seda e correntes douradas não faltaram na colecção alusiva aos eléctricos anos 80. Entre o clássico preto e dourado, a designer também apostou nos tons rosa, pêssego e framboesa. Mas foi Blésnya Minher quem desfilou num dos looks adaptados ao quotidiano, num conjunto de sweatshirt e saia.

De referir que nos passados meses de Setembro e Outubro, a modelo angolana somou um total de trinta e dois desfiles nas semanas da moda internacional. Em Novembro e fora das datas das semanas da moda, a modelo também desfilou para Louis Vuitton, em Seoul, e para a parceria Giambattista Valli x H&M, em Milão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.