A passagem dos anos não perdoa. Aos 50 anos, a perda de estrogénios é o fator que mais influencia a imagem da mulher, uma vez que afeta diretamente o estado da epiderme. Nesta fase da vida, dá-se uma diminuição da espessura da pele com reabsorção óssea e retração do queixo. Tudo isto faz com que os lábios também diminuam. Por isso, os tratamentos nesta idade são muito bem vindos, já que recuperam os volumes perdidos.

Descubra, de seguida, as soluções para sete dos principais problemas que afetam mulheres (e também homens) que já passaram a barreira dos 50 anos.

1. Manchas

Para atenuar as manchas, o laser de luz intensa pulsada, mais conhecido como IPL,  é imprescindível. No caso dos lentigos solares e das telangiectasias, as chamadas aranhas vasculares, também pode ser usado porque, para além de iluminar a pele, fecha os poros.

2. Marcas da passagem do tempo

Para melhorar o aspeto geral da pele, adote um ritual preventivo, que pode facilmente implementar no conforto do lar. Em casa, use linhas cosméticas mais completas e produtos com fórmulas inovadoras, como é o caso dos séruns antioxidantes, dos cremes com vitamina C e dos cosméticos com poder regenerante desenvolvidos a partir de moléculas anti-idade.

3. Rugas de expressão

Para as atenuar ou até mesmo apagar, o botox é uma solução a ter em conta. "A toxina botulínica, combinada com ácido hialurónico, é o tratamento não-cirúrgico mais completo", garante o cirurgião plástico Falcão de Melo.

"A paralisia muscular provocada pela toxina atenua as rugas de expressão e o ácido hialurónico preenche-as. Como a paralisia dura em média 12 semanas, e o ácido hialurónico de nove meses a um ano, o efeito complementar é ainda mais acentuado, tornando o tratamento mais consistente", assegura ainda o especialista.

4. Rugas labiais

Para corrigir as rugas labiais, também há solução. Para estes casos, o tratamento ideal é o ácido hialurónico (fica muito natural e rejuvenesce bastante a expressão) ou o laser polifraccionado (ideal para apagar rugas finas). "Quando as rugas são muito profundas, a abrasão é eficaz", sublinha o cirurgião plástico Falcão de Melo.

5. Desidratação

Combater a desidratação é a preocupação de muitas mulheres com mais de 50 anos. A mesoterapia facial é, para muitos especialistas, o tratamento adequado. Este procedimento passa por injetar ácido hialurónico e vitaminas. O seu efeito antioxidante e hidratante é imediato.

Se não gosta de agulhas, a eletroporação, também conhecida pela sigla TDES, é a melhor forma de receber vitaminas sem picadas. Como tratamento complementar, pode tomar suplementos alimentares com vitaminas, desde que prescritos ou aconselhados pelo seu médico.

6. Envelhecimento generalizado

Reverter o envelhecimento generalizado é uma das vontades de muitas mulheres quando atingem esta idade. Se o seu ginecologista considerar oportuno, pode seguir a terapia hormonal de substituição, cuja manutenção dos estrogénios evitará, em grande medida, o atrofio cutâneo e manterá a espessura da pele.

"Também pode recorrer aos fitoestrogénios que, sem os efeitos adversos dos estrogénios, nomeadamente sobre a mama, compensam uma série de fenómenos resultantes da menopausa", sugere o cirurgião plástico Falcão de Melo.

7. Flacidez

Para corrigir a flacidez, a a radiofrequência melhor solução. Esta técnica produz um aumento da temperatura da derme e gera um estímulo de colagénio e elastina, promovendo uma compactação da pele e melhoria das rugas.

"É nesta idade que os tratamentos cirúrgicos são mais benéficos, nomeadamente no tratamento das pálpebras, da face e do pescoço. Esta é a década ideal para as blefaroplastias e para os liftings", afirma mesmo Falcão de Melo.

Texto: Madalena Alçada Baptista

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.