1. Usar esponjas no banho

As esponjas de fibras naturais pode ser bastantes agressivas para a pele, nomeadamente para o manto hidrolipídico − o escudo protetor da epiderme, formado por células mortas e lipídios originários das glândulas sebáceas. Segundo a médica, o uso diário destas esponjas deixa a pele desprotegida perante eventuais agressões externas. Dessa forma, a médica Paloma Cornejo deixa a sugestão ao jornal El País: esfolie a pele apenas uma vez a cada 15 dias.

2. Ir para a cama com a cara por lavar

A preguiça é a razão pela qual muitas pessoas vão para a cama sem lavar a cara ou retirar eventuais restos de maquilhagem. Mesmo que não se maquilhe, deve lavar a cara todos os dias antes de se deitar. Essa necessidade torna-se ainda maior se vive numa cidade. A sujidade acumulada do dia a dia e a poluição têm de ser removidos do seu rosto sob pena de contribuírem para o aparecimento de pontos negros e sinais de envelhecimento. Lembre-se: limpeza em excesso também faz mal, portanto lave a cara suavemente.

3. Usar água acima dos 36 graus

Não há nada mais relaxante do que um banho quente, mas a água acima da temperatura corporal é uma das principais causa de desidratação epidérmica, que, unida ao uso de géis e sabões agressivos que alteram o pH da pele, é o primeiro passo para afeções drásticas, como a dermatite atópica. Além disso, a água quente favorece a flacidez cutânea. O ideal é tomar banho diariamente com água morna.

4. Não aplicar filtro solar

Todos os dermatologistas estão de acordo: o melhor tratamento contra o envelhecimento da pele é um fotoprotetor. O seu uso deve ser diário, principalmente no rosto. Segundo a dermatologista, deve usar um protetor com fator de proteção, no mínimo, de 30. Não esquecer nunca as orelhas, o decote, a nuca e, no caso de quem tem calvície, o couro cabeludo. Além de ser o melhor aliado na luta contra o cancro de pele, a utilização de filtro solar previne o surgimento de manchas, rugas e flacidez cutânea.

5. Esquecer-se todos os dias de pôr os óculos de sol

Os óculos de sol são o melhor "cosmético" para combater os pés de galinha. A dermatologista Paloma Cornejo explica que os movimentos e gestos repetitivos são os principais responsáveis pelas rugas precoces à volta dos olhos. Procure usar óculos com proteção contra os raios ultravioleta (UV): é um dois em um, porque protege a pele e a retina.

6. Beber álcool

Consumir álcool pode provocar rosácea (vermelhidão no nariz, queixo e bochechas), desidratação, descamações e acelerar a flacidez cutânea, já que também desorganiza as fibras de colagénio e elastina, responsáveis pela suavidade e elasticidade da pele. O álcool atua como um diurético e afeta a produção adequada de vasopressina, a hormona encarregado de indicar aos rins que absorvam as vitaminas e os micronutrientes de que o organismo necessita de líquidos antes de os liminar pela urina. Quando a absorção de água é insuficiente, a pele fica fatigada, enrugada, seca e com os poros abertos.

7. Ingerir poucos vegetais

Não incluir frutas e legumes na dieta diária afeta não só o aparelho digestivo e a saúde do organismo, como também tem efeitos diretos no envelhecimento da pele. Os legumes são as melhores ferramentas para combater os radicais livres, moléculas de oxigénio que oxidam o organismo e nos envelhecem. A médica Paloma Cornejo recomenda: frutos vermelhos, tomate, cenoura, pêssego, morangos, laranjas e tangerinas, por exemplo.

8. Fumar

A nicotina e outros ingredientes tóxicos do tabaco reduzem a resposta dos microvasos sanguíneos. Por não haver uma boa circulação do sangue, a pele é privada de nutrientes e oxigénio, acabando por envelhecer de forma prematura.

9. Dormir pouco

As células do corpo regeneram-sedurante o sono. Por isso, se não dorme oito horas, a renovação celular fica por concluir. Dessa forma, podem surgir papos, olheiras mais evidentes e vermelhidão ocular. A falta de sono afeta a função da pele, aumentando o risco de secura e sensibilidade cutânea.

10. Usar o perfume errado

Fragrâncias com álcool, bergamota e almíscar podem provocar fototoxicidade em contacto com os raios UV, acabando por gerar reações alérgicas, produção excessiva de melanina e pigmentação. Evite esses ingredientes nos perfumes ou então coloque essas fragâncias em áreas do corpo que não entram em contacto com os raios solares.

Este artigo não dispensa a consulta de um médico.