Jackie Chan fez uma série de confissões na sua autobiografia intitulada 'Never Grow Up’ (Nunca cresças, em tradução livre) que deixou os fãs surpreendidos. O jornal Daily Mail teve acesso a alguns excertos do livro nos quais o famoso ator revela que gastou grande parte da sua fortuna em prostitutas, jogo e "presentes excêntricos". O artista de 64 anos culpa a sua “insegurança e imaturidade” pelo passado que incluiu comportamentos de risco como conduzir embriagado e bater com dois carros de luxo no mesmo dia.

“Todos sabíamos que se alguma coisa corresse mal não conseguiríamos ver o sol no dia seguinte. Tínhamos uma mentalidade curta, o que significa gastar o dinheiro de forma imprudente”, sublinha, acrescentando que começou a gastar grande quantias no início da sua carreira, pois para uma pessoa que como ele tinha vindo da pobreza, gastar dava uma sensação de segurança.

“Gostava de ter muitas pessoas à minha volta e todas as refeições eram com grandes grupos. Há 10 anos gastei dois milhões de dólares [um milhão e 759 mil euros, aproximadamente] em refeições com outras pessoas”, confessa.

Notícias ao Minuto

Jackie Chan em 1980. © Getty

“Também ofereci presentes excêntricos; relógios, carros, casacos de pele feitos à medida, caixas de vinhos caros”, sublinha.

Notícias ao Minuto

Imagem do livro lançado por Jackie Chan. © Reprodução

Também neste livro, Jackie confessa ter sido “um grande idiota” na sua vida pessoal ao ter tratado mal as mulheres e mesmo o seu filho Jaycee, agora com 36 anos. Para além disso, revela que traiu a sua mulher, Joan Lin e que estava tão paranóico com a ideia de que ela era uma ‘caçadora de fortunas’ que se afastava para gastar o dinheiro longe da mesma.

“Portei-me tão mal por causa das minhas profundas inseguranças”, completa.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.