Kobe Bryant deixou um património que ronda os 550 milhões de euros. A estimativa é avançada pela revista Forbes. O popular basquetebolista norte-americano, nascido em Filadélfia, na Pensilvânia, nos EUA, que morreu, aos 41 anos, num acidente de helicóptero a 26 de janeiro, em Calabasas, na Califórnia, foi cinco vezes campeão da NBA com os Los Angeles Lakers e ganhou duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos, a primeira em 2008 e a segunda em 2012.

De acordo com a publicação, além do salário elevado que auferia como basquetebolista, Kobe Bryant lucrou com os patrocínios que foi somando ao longo da carreira. O primeiro acordo de quatro anos que estabeleceu, em 2003, com a marca desportiva Nike, o mais rentável de todos os seus patrocinadores, rendeu-lhe 40 milhões de dólares, perto de 37 milhões de euros. A McDonald's, a Coca-Cola, a Mercedes-Benz e a Hublot também pagaram pela sua imagem.

Empreendedor nato, o jogador de basquetebol, que seguia no helicóptero com a filha de 13 anos, Gianna Bryant, outra das vítimas mortais do acidente, tinha investido milhões na produção e na comercialização da bebida energética BodyArmor e em pequenas e médias empresas como a Art of Sport e a HouseCanary. Três anos antes de anunciar o fim da carreira, criou, com Jeff Stibel, cientista e empresário, a companhia de investimentos Bryant Stibel & Co.

Em 2016, apostou, através da sua sociedade de capital de risco, na Epic Games, a empresa de videojogos que criou o Fortnite, um dos jogos mais populares da atualidade. Kobe Bryant era casado com a bailarina Vanessa Laine Bryant, que conheceu em 1999, desde 2001. Para além de Gianna Bryant, o casal teve mais três filhos, Bianka Bella Bryant, Natalia Diamante Bryant e Capri Kobe Bryant, nascida em 2019, que fica órfã de pai ainda antes de fazer os oito meses.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.