Depois de ter sido avançado pela imprensa internacional que a amostra de ADN de Cristiano Ronaldo correspondia ao ADN que foi encontrado no corpo de Kathryn Mayorga, é agora relatado que o craque português pediu para que o caso fosse retirado ou passasse para mediação.

De acordo com a France Press, os advogados do craque português já apresentaram no Tribunal Federal dos Estados Unidos um documento para pedir que o processo seja retirado ou, em alternativa, que o caso seja mediado fora do tribunal para que ambas as partes cheguem a um novo acordo.

No entanto, segundo o Maisfutebol, Cristiano Ronaldo não terá pedido a mediação para um novo acordo, mas antes que o caso deixe os tribunais judiciais e passe para um tribunal arbitral.

A defesa de CR7 destaca que ambas as partes já chegaram a um acordo em 2009 e, como tal, não há razões para que o caso seja novamente julgado. Esse é, de resto, o argumento esgrimido para pedir que o processo seja encerrado.

Ainda assim, Kathryn Mayorga alega que assinou o referido acordo - em 2009, ano em que aconteceu o suposto abuso sexual - sob pressão.

Leia Também: ADN de CR7 corresponde ao encontrado no corpo de Kathryn Mayorga

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.