É inevitável, à medida que amadurecemos, vamos aperfeiçoando a imagem do homem ideal, aquele que é realmente capaz de corresponder às nossas expetativas e necessidades. Mas até que ponto essa imagem é real? E será que devemos persegui-la? De acordo com os especialistas, o mais provável é que esta imagem idealizada não passe disso mesmo, de uma imagem criada com base nas nossas fantasias e que não corresponde à realidade que nos rodeia.

O maior problema é que este ideal pode ser a causa escondida de inúmeros relacionamentos mal-sucedidos e de sentimentos de desilusão, frustração e infelicidade. "A ideia de que existe um homem perfeito pode ser perigosa para o sucesso de qualquer relação", começa por alertar Margarida Vieitez, terapeuta de casal, mediadora familiar e autora de vários livros especializados em relações amorosas, como é o caso de "Pessoas que nos fazem felizes".

"Quando as mulheres alimentam este pensamento, há o risco de acabarem por ter várias relações amorosas e muito frustrantes, atribuindo a culpa aos outros e sem perceberem que elas é que estão erradas", refere a especialista. Os sentimentos de desilusão e frustração são os mais comuns, a par da descrença de que é possível ter uma relação saudável e satisfatória. Nas relações amorosas, o impacto pode causar comportamentos e atitudes contraditórias.

Muitos deles acabam mesmo por resultar em conflitos e por gerar instabilidade emocional e, nalguns casos, podem mesmo provocar a rutura definitiva do relacionamento, como muitas vezes se verifica. "Atitudes como a pressão, as exigências, as cobranças e as constantes tentativas de mudar o outro, de acordo com a fantasia criada, são as consequências mais frequentes", aponta a terapeuta, que também escreveu "Verdades, mentiras e porquês".

O homem ideal versus o que as mulheres idealizam

A realidade nem sempre supera as expetativas. Inúmeras vezes sucede o contrário. "Enquanto o homem ideal reúne o conjunto de requisitos que as mulheres definem como os mais importantes ou aqueles que o seu companheiro deveria ter, o ideal de homem ou o tal consiste na fantasia de que existem homens realmente diferentes de todos os outros porque têm as características que todas as mulheres apreciam e querem", distingue Margarida Vieitez.

Na sua prática clínica, a terapeuta constata que "muitas mulheres procuram não o companheiro ideal mas, sim, o ideal de companheiro que os filmes, as músicas, as telenovelas e os livros veiculam", adverte a terapeuta e mediadora familiar portuguesa.

Acreditar na existência deste ideal é um dos maiores erros e pode ser o motivo pelo qual muitas mulheres não encontram o companheiro ideal. "Quando o homem que fantasiam é comparado com o companheiro ideal, este último cai pela ribanceira abaixo e muitas mulheres correm atrás daquilo que não existe", alerta ainda a especialista.

A crença de que existe o tal, o príncipe encantado, tem na sua origem nas histórias que se contam há milhares de anos e que passaram para o cinema. "Muitas pessoas esquecem-se é que, ao longo dos tempos, também os príncipes e as princesas tiveram e têm relações amorosas conturbadas, quando não muito conflituosas", lembra a terapeuta. De acordo com Margarida Vieitez, são vários os mitos que as mulheres tendem a desenvolver sobre o outro.

Muitas vezes, são fomentados pelo sentimento da paixão, mas também pelas ideias transmitidas na literatura e no cinema. Os pensamentos que normalmente correspondem a ideias fantasiadas poderiam determinar uma lista infindável de características mas, segundo a psicoterapeuta, é possível definir os mais comuns. "É frequente acreditarem que o companheiro pensa, decide e faz tudo de forma semelhante, que estará sempre disponível e bem-disposto", diz.

"Acreditam e que nunca nos vai magoar, que nos vai surpreender e ser romântico e que terá sempre a empatia necessária para perceber as nossas emoções e sentimentos", acrescenta ainda Margarida Vieitez. Outros mitos comuns "são a ideia de que o nosso companheiro vai amar-nos incondicionalmente, que vamos ser sempre a sua prioridade, que ele vai querer estar sempre connosco e que não irá conseguir viver sem a nossa presença", refere ainda a especialista.

Os ingredientes para uma relação feliz

Embora não exista o homem perfeito, existem características muito importantes que devem ser consideradas na hora de escolher um companheiro. "A empatia, o respeito e a confiança são indicadores muito importantes para o sucesso de uma relação", aponta. No dia a dia, "a comunicação, a aceitação das diferenças, a empatia para com as necessidades emocionais do outro, o investimento e o cuidado de priorizar a relação" são outros fatores determinantes.

Segundo Margarida Vieitez, "é possível encontrar alguém que tenha a empatia suficiente para compreender as nossas necessidades, mas também é preciso assumir o compromisso de ter essa mesma empatia para com as da outra pessoa, o que poderá envolver respeito, aceitação de diferenças e cedências". Outros sinais importantes que demonstram que estamos perante um bom companheiro passam por atitudes específicas que este deve revelar naturalmente.

"Pelo aceitar quem é, interessar-se pelo que acontece na sua vida, estimulá-la a ser uma pessoa melhor, não criticar, culpar, apontar as suas imperfeições ou estar em conflito e demonstrar por palavras e, especialmente, por atitudes o quanto lhe quer bem", descreve. Também importante para o sucesso da relação é "acreditar que é possível ter uma relação saudável, escolher uma pessoa mentalmente saudável e investir nesse amor, que se constrói todos os dias", defende.

20 sinais que lhe dizem que (ainda) não é ele

Não existe o companheiro perfeito, mas há sinais que podem revelar que ainda não conheceu o homem certo, como os que aponta Margarida Vieitez, terapeuta de casal e mediadora familiar:

1. Falta de respeito pela sua opinião

2. Crítica, inferiorização/desvalorização e culpabilização

3. Desrespeito pela sua vontade

4. Inconsistência no discurso e instabilidade emocional

5. Pressão para pensar ou fazer como ele

6. Assédio sexual e pressão para ter sexo

7. Mil promessas de uma vida cor de rosa

8. Indícios de ter outros relacionamentos

9. Estar ao telemóvel permanentemente.

10. Competição e manipulação

11. Parecer bom demais

12. Dizer-lhe que você pode decidir tudo

13. Dizer-lhe que a ama e sempre a amou, logo nas primeiras semanas

14. Dizer-lhe que ama pelos dois

15. Estar sempre demasiado preocupado consigo

16. Vitimizar-se

17. Aparecer e desaparecer

18. Dizer-lhe que precisa de espaço e não assumir a responsabilidade dos seus atos

19. Dizer-lhe que vai resolver todos os seus problemas

20. Dizer-lhe que nunca vai encontrar ninguém que a ame mais

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.