Para as crianças e jovens, o início do ano lectivo é um momento de novos desafios e descobertas. Depois das “férias grandes” de verão, regressar à escola pode ser muito entusiasmante: reencontram-se amigos e professores, fazem-se novas amizades, conhecem-se novos espaços e aprendem-se novas matérias.

Ao mesmo tempo, este é um período de transição e mudança (de ano, de escola, de turma, de professores...), que pode trazer consigo alguma ansiedade. O processo de adaptação de cada criança a este período, depois das férias, não é automático nem está previamente delimitado no tempo. Depende de vários elementos que terão uma importância também variável para cada criança. Durante este período de adaptação, a ansiedade pode manifestar-se através de queixas de dores de barriga ou cabeça, isolamento, irritabilidade, choro ou até com recusa ou pedidos para não ir à escola.

Se os pedidos das crianças ou jovens para não ir à escola se tornarem recorrentes e prolongados no tempo, é importante que sejam analisados com cuidado, uma vez que podem evidenciar situações mais preocupantes. Há vários motivos que podem levar à recusa escolar, além da ansiedade, como as dificuldades de aprendizagem, eventos emocionalmente intensos na vida pessoal da criança/jovem (exemplo: morte de um familiar próximo) ou o bullying. É fundamental que os pais estejam atentos e conversem com os filhos, tentando perceber os motivos desta recusa e até se as queixas surgem com um padrão, isto é, em determinados dias e em certas situações, de forma a que os possam ajudar da melhor forma possível. Uma comunicação eficaz entre a família e a escola (através dos professores) é também necessária para uma análise mais completa da situação.

Como ajudar a criança ou jovem a lidar com a ansiedade provocada pelo início das aulas ou com a mudança de escola? Deixamos algumas sugestões que o/a podem ajudar a ajudar o/a seu/sua filho/a, desde os mais pequenos aos mais velhos:

1. Sentir ansiedade é natural e esperado em períodos de transição ou de mudança. Para ajudar o seu filho a sentir isso, pode partilhar como foi o seu primeiro dia de aulas ou como se sentia no momento de regresso às aulas, respondendo a perguntas e curiosidades.

2. Procure transmitir apoio emocional e segurança. É muito importante que os pais sejam os primeiros a acreditar que as crianças vão ficar bem e lhes expliquem que existem outros meninos que também estão a viver aquela situação e que, como ele, vão começar uma nova fase das suas vidas. Se os pais não transmitirem segurança e confiança, relativamente a esta etapa, é difícil que os filhos se sintam confiantes e seguros.

3. Gerir expectativas. Procure perceber como é que o seu filho imagina a escola, o que vai encontrar, o que vai fazer lá e que tarefas terá. Se necessário, ajuste as expectativas que não correspondem à realidade.

4. Regresso à rotina. Ainda em tempo de férias, as crianças ou jovens devem regressar gradualmente aos horários, hábitos e regras vividos no tempo de escola, uma vez que, tendencialmente, no período de férias as regras, tarefas e horários são mais flexíveis.

5. Integração gradual, no caso de crianças do ensino pré-escolar, aumentando progressivamente o tempo de permanência na escola.

6. Visite a nova escola com o seu filho, antes do início do período de aulas, apresentando-lhe o espaço e o caminho até lá.

7. Façam as compras escolares em conjunto, envolvendo a família na preparação da nova etapa.

8. Escreva um bilhete motivador para que ele o possa ler no intervalo, mantendo a proximidade com a família, mesmo estando na escola.

9. Escolham um objecto que lhe dê segurança e que ele possa levar para a escola. Por exemplo, um peluche, no caso das crianças mais pequenas, ou um berlinde ou um objecto pequeno que se possa levar no bolso.

10. Converse com o seu filho sobre o dia dele na escola, podendo perguntar-lhe como se sente, o que mais gostou de fazer ou quais as suas dificuldades. Este pode ser um bom primeiro passo para evitar a ansiedade do dia seguinte. Tente também manter algum tempo de interação/relação desligado do tema da escola, ou seja, continue a brincar com o seu filho.

11. Valorizem as aprendizagens que faz na escola. Mostre ao seu filho que o que aprende na escola é muito importante, valorizando as pequenas descobertas e aprendizagens que vai fazendo.

12. Construam um horário em conjunto. O horário pode ajudar a criança ou jovem a gerir o tempo, planear e organizar tarefas. É importante que o horário inclua, também, momentos para a criança brincar e momentos de lazer como actividades desportivas ou criativas.

Mais artigos da Psinove aqui.


Maria Inês Galvão - Psicóloga Clínica

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.