Depois de uma dúzia de anos a viver com eles debaixo da ‘asa’, eis que um dia os pais acordam e percebem que o filho ou filha anda a voar sozinho. Não é fácil, mas deve ser encarado com naturalidade.

Um novo estudo da empresa de suplementos vitamínicos Wellteen, da Vitabiotic, citado pelo The Independent, revela que os pais começam a perder o controlo dos hábitos de vida dos filhos a partir dos 13 anos deles. A pesquisa foi feita com 2000 pais de adolescentes britânicos, entre os 13 e os 18 anos, sendo que seis em cada dez progenitores admitiram sentir-se menos influentes a partir dessa idade.

As preocupações dos educadores são variadas, mas a alimentação parece encabeçar a lista. Quatro em cada dez mostraram-se apreensivos com aquilo que os filhos comem e bebem quando não estão com eles, sendo que 43% dizem ter encontrado embalagens de doces ou fast food no quarto e na mochila dos miúdos. O estudo da Wellteen mostra ainda que mais da metade dos pais tem discussões com os filhos por causa da alimentação, pressionando-os para comerem mais frutas e verduras.

Um porta-voz da Wellteen declarou ao The Independent: “Quando os miúdos são pequenos, é fácil saber o que fazem, mas à medida que crescem e começam a fazer as suas próprias escolhas pode ser mais difícil controlar a sua alimentação e estilo de vida”.

O estudo conclui que 12 por cento dos pais não faz a mínima ideia da quantidade de doces, refrigerantes ou snacks, como batatas fritas, que os filhos comem por dia. E no que toca ao álcool, a fé dos mais velhos sai beliscada. A maioria dos pais não sabe, mas 44% dos adolescentes diz já ter bebido álcool e quase um em cada cinco fuma – quando apenas 16% dos pais admitiram que isso fosse possível.

O mesmo porta-voz do Wellteen esclareceu que, “segundo dados oficiais, os adolescentes estão no grupo de indivíduos que pior se alimentam”. Tal fenómeno pode dever-se à vontade de se rebelarem contra os pais e testarem a sua recém-descoberta independência, bem como às pressões “de uma vida agitada, entre estudos, desportos e múltiplas atividades com amigos”.