O dia 1 de Junho deixou de ser celebrado como feriado nacional, pela primeira vez em Angola, em 2011, no âmbito da nova legislação em vigor no país.

A implementação plena dos 11 compromissos da criança, gizados pelo Governo, foi outro apelo das crianças participantes ao acto central.

O acto, que decorreu no município de  Viana, distrito urbano do  Zango, com a  participação de centenas de crianças, provenientes de vários municípios de Luanda, foi presidido pela ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves.

Na ocasião, a governante apelou à protecção da criança contra a descriminação racial, religiosa e de outras práticas maléficas.

Faustina Alves referiu que a criança deve ser educada dentro de um espírito de compreensão, tolerância, amizade, paz e fraternidade.

Chamou também a responsabilidade da família a desempenhar o verdadeiro papel no desenvolvimento da criança, pois que  é através do seio familiar  que se cria crianças determinadas e com auto-estima.

Lembrou ainda que o Governo colocou no seu programa de governação 2018/2022, o combate ao trabalho infantil nos mercados informais e formais, prevenção e combate à violência contra à criança na escola, família e comunidade, assim como melhorar o sistema e meios de protecção da criança.

Quanto ao sector que dirige, informou que através do Instituto Nacional da Criança (INAC), em parceria com a Unicef, está a trabalhar na actualização da Proposta da Estratégia Nacional de Prevenção e Combate da Violência contra à Criança.

Acrescentou que está igualmente em curso o programa de integração de crianças em situação de risco em famílias substituídas, a prestação de apoio psicossocial à criança em conflito com a lei.

Na ocasião, o governador provincial de Luanda, Sérgio Luther  Rescova, exemplificou o ciclo de vida da criança como de uma planta, que embora crescida precisa sempre de ser regada.

"A planta germina, mas precisa ser regada para que cresça e dá frutos que embelezam o jardim", enfatizou.

Por outro lado, a representante da Unicef  em Angola, Patrícia Portela afirmou ser necessário apostar fortemente na implementação e avaliação de modelos convergentes e integrados que visam alcançar a criança com todos os serviços essenciais.

O acto central do Dia Internacional da Criança contou também com a  participação de administradores municipais, empresários, entidades  eclesiásticas e tradicionais.

"A protecção da criança começa na família" é o lema que marcou o Dia Internacional da Criança.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.