Ajude a criança a desenvolver competências para controlar emoções, gerir frustrações e conflitos. É preciso esforço e tempo, sobretudo quando associado a um quadro de problemas de aprendizagem e atenção, mas verá que compensa. E, no futuro, poderá fazer toda a diferença, por exemplo, ao nível da vida escolar e profissional.

A melhor forma de ensinar a criança a desenvolver autocontrolo é exemplificando. Mostre como se faz no dia a dia para controlar comportamentos impulsivos e elogie sempre que a criança o consiga fazer sob pressão. Uma palavra de reconhecimento, uma recompensa e até mesmo um simples sorriso, certamente representarão um forte incentivo para que a criança repita a ação e continue a tentar.

Os bebés, por exemplo, quando não conseguem ter o que pretendem, facilmente reagem à frustração através do choro e do grito. Nos primeiros meses de vida o autocontrolo é quase sempre nulo. Salvo raras exceções, as crianças pequenas ainda não adquiriram capacidades para aceitar um “não”.

No ensino pré-escolar e no primeiro ciclo do ensino básico, todavia, a maioria das crianças começa a desenvolver outras ferramentas capazes de controlar impulsos e pensar antes de agir. Essa competência tenderá a ser mais complicada quando a criança apresenta dificuldades de aprendizagem e de atenção. Em alguns casos, só mesmo através da ajuda de um profissional se consegue aprender a gerir emoções. Há várias dicas úteis que podem ser seguidas:

1. Seja claro sobre as expectativas

Algumas crianças reagem mal quando não sabem o que esperar quando confrontadas com determinadas situações. Faça o seu filho compreender que deve ser paciente quando estiver exposto a algo que não deseja.

Por exemplo:

“Vamos ao supermercado fazer compras aqui para casa. Por que não levas a tua boneca também para brincares?

“Os tios vêm jantar connosco. Os teus primos vão querer brincar com a tua playstation, não tem mal nenhum e até vai ser divertido, não achas?”

2. Ajude a identificar sentimentos

Se a criança conseguir interpretar o que sente, tornar-se-á mais

fácil aprender a autocontrolar-se antes de “explodir". Ajude-a. As palavras certas ajudá-la-ão a encontrar as respostas que pretende:

“João, ficaste zangado quando eu te disse que não tinha dinheiro para comprar a bola de futebol.”

“Ficaste triste quando eu te disse para parares de jogar playstation e ires tomar banho”.

Ajude a criança a aprender a usar uma linguagem que denote autocontrolo. Se conseguir interiorizar a importância dessa ferramenta, será mais fácil para a criança controlar comportamentos impulsivos perante situações de stress.

Exemplos: "Posso pedir isso?”

"Tudo bem, posso partilhar contigo.”

"Eu vou esperar pela minha vez.”

"Eu gostaria agora, mas vou esperar até mais tarde.”

 3. Ensine técnicas de autocontrolo jogando

Para as crianças, uma das melhores formas de aprender é através do jogo. No caminho para o banho ou no supermercado, peça ao seu filho que pare e inicie ações diferentes. Por exemplo, faça-o congelar quando disser “batata!” Estes tipos de jogos ensinam as crianças a parar e pensar antes de agir - um autocontrolo essencial.

4. Ofereça uma pausa 

Crie um local tranquilo em casa, onde seu filho se possa acalmar, se estiver fora de controlo. Pode ser um canto cheio de almofadas ou qualquer outro local confortável. Este "refúgio" pode ensinar-lhe que há um caminho - e um lugar especial para ir - para se recompor quando as coisas ficarem fora de controlo.

5. Ofereça-lhe uma recompensa 

Geralmente, as crianças pequenas alcançam melhores resultados se receberem uma recompensa no final. Em vez de dar o habitual brinquedo, ofereça algo que deseja muito, sempre que demonstrar autocontrolo - por vezes, nem precisa gastar dinheiro.

Se a criança parar de jogar na playstation para arrumar a mesa quando lhe for solicitado, dê-lhe, por exemplo, o direito de escolher a sobremesa ou ver o filme preferido em família.

6. Elogie a criança

Quando vê que a criança demonstra autocontrolo perante as adversidades, não hesite em manifestar a sua satisfação. O reforço positivo contribuirá para que confie em si próprio como alguém que sabe controlar com sucesso os seus impulsos.

Diga-lhe coisas como, por exemplo:

"Adorei a forma como soubeste esperar pacientemente pela tua vez para jogar playstation."

"Esta é a terceira vez nesta semana que não me interrompeste quando eu estou ao telefone. Estou muito satisfeito por teres esperado para falar comigo".

A capacidade de autocontrolo pode não surgir de forma natural numa criança. Se a ajudar a aprender a manter sob controlo o seu comportamento, poderá ser mais fácil fazer e manter amigos, lidar com os sentimentos e melhorar a autoestima.

Conclusões principais

-As crianças precisam de tempo para desenvolver competências de autocontrolo, sobretudo se apresentarem dificuldades de aprendizagem e de atenção.

-Mudanças simples na maneira como os educadores falam e interagem com a criança podem ajudá-la a aprender a esperar e pensar antes de agir.

-Ajude a criança a identificar os seus sentimentos e recompense-a sempre que manifeste capacidade de autocontrolo.