Segundo o diretor nacional dos Serviços de Registo e Notariado do Ministério da Justiça e Direitos Humanos de Angola, Claudino Filipe, está previsto o posterior alargamento deste serviço a todo o país, inicialmente com 10 postos em cada uma das 17 restantes províncias.

O programa denominado "Nascer com o Registo", que conta com o apoio financeiro de 16 milhões de euros da União Europeia, foi hoje lançado na Maternidade Lucrécia Paim, a maior de Luanda.

"A inovação desta unidade que temos aqui é que os pais levam logo consigo o documento após fazerem o registo do filho", disse o responsável, acrescentando que o registo deverá ser realizado em cerca de cinco minutos.

As autoridades preveem futuramente que este serviço, enquadrado no programa do Governo de massificação do registo civil e atribuição dos Bilhetes de Identidade, seja instalado em unidades de saúde privadas.