Estes dados vêm expressos no relatório final do Instituto Nacional de Estatística sobre o Inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde (IIMS) 2015/2016 lançado este ano.

O documente refere também que 35 por cento das mulheres e 49 por cento dos homens nunca casaram.

A percentagem de mulheres casadas é maior antes dos trinta anos ao contrário dos homens que se casam depois dos trinta anos, indica a nota.

Em relação à poligamia, 22 por cento das mulheres têm co-esposas e oito por cento dos homens tem mais de uma esposa.

A poligamia é o sistema familiar no qual um homem tem várias esposas ao mesmo tempo e tem implicações na frequência da exposição a relações sexuais, bem como na fecundidade.

As províncias de Luanda, com 14 por cento, e a da Lunda Norte, com 13 por cento, têm a taxa mais baixa em relação à poligamia, ao contrário do Bengo, com 35 por cento, e Cuanza Norte, com 42 por cento, com as taxas elevadas.

O inquérito sobre esse pressuposto avaliou homens e mulheres dos 15 aos 49 anos. O Inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde (IIMS) foi realizado entre Outubro de 2015 e Março de 2016 e faz parte da Estratégia Nacional de Desenvolvimento Estatístico (ENDE) 2015/2025.

Para este trabalho, o INE contou com a colaboração do Ministério da Saúde (MINSA), assistência técnica do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), ICF Internacional, através do Programa de Inquéritos Demográficos e de Saúde e do Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP).