Segundo fonte do Governo de Luanda, contactada pela Angop, a responsabilidade de englanar as avenidas, ruas e largos é das administrações municipais e distritos urbanos.

Fonte da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda disse, no entanto, que este ano não foram distribuídas verbas para aquisição dos enfeites de Natal.

Numa ronda efectuada pela Angop hoje, sexta-feira, é possível visualizar que os locais habituais, como os postes de iluminação pública, árvores e pedonais, com realce para as avenidas 4 de Fevereiro, Deolinda Rodrigues, Hoji ya Henda, Combatentes,  Ho-chi-nim, ruas do Eixo Viário, de Portugal, Rei Katiavala, Amilcar Cabral, Major  Canhangulo, Rainha Ginga, entre outras, encontram-se sem decoração.

Este ano, o Largo da Independência não conta com o habitual presépio gigante, um projecto que o  Governo Provincial de Luanda realiza desde 2013, onde podiam ser vistos todos os componentes da manjedoura.

O Largo das Heroínas, para além de não ter decoração alguma este ano, está totalmente às escuras, pois os mais de dez postes de iluminação pública encontram-se apagados.

No âmbito da sua estratégia de desenvolvimento sustentável,  o Banco Económico decidiu partilhar com os luandenses uma árvore de Natal gigante,  na Avenida I Congresso do MPLA (Ingombota) inteiramente produzida com garrafas de plástico.

Esta iniciativa visa sensibilizar os colaboradores e a sociedade sobre a importância da reciclagem e adopção de hábitos de consumo mais sustentáveis.

A referida árvore de Natal, de cerca de seis metros de altura,  foi construída com mais de 700 garrafas de plástico recolhidas pelos trabalhadores do banco,  para demonstrar que os resíduos podem, e devem, ser reciclados e transformados em novos objectos, com novas utilidades.

Esta instalação é também o ponto de encontro para a apresentação de diversas actividades alusivas à quadra natalícia, das quais se destacam o show do cantor Miguel Buila e interpretações de cânticos de grupos corais de inúmeras instituições, da cidade de Luanda.

A árvore de Natal ecológica foi produzida e montada pela Associação de Profissionais e Amigos do Combate à Pobreza (APACP), instituição que já produz e comercializa inúmeros objectos feitos com materiais reciclados, para lhes dar uma nova vida e valorização económica.

Com mais de oito milhões de  habitantes, a capital angolana é composta pelos municípios de Luanda, Belas, Talatona, Kilamba Kiaxi, Icolo e Bengo, Quiçama, Cacuaco, Cazenga e Viana.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.