Ter flores em casa, para além de purificar naturalmente o ar, torna qualquer divisão mais apelativa e convidativa. O problema é aguentá-las. No início, as coisas até correm bem mas, depois, as variedades botânicas que tentamos cultivar ressentem-se e muitas vezes acabam por morrer. Também já sucedeu consigo? Não desista! As recomendações de Teresa Chambel, arquiteta paisagista, blogger de jardinagem, autora de livros especializados e diretora da revista Jardins, que vão fazer a diferença.

1. Transplante

Não as deixe no recipiente de compra. "Todas as plantas que compramos devem ser mudadas para um vaso bem drenado e com substrato adequado. Essas plantas, normalmente, vêm em vasos pequenos para o tamanho delas e, muitas vezes, o substrato não é adequado para lhes garantir um bom crescimento", adverte Teresa Chambel.

"Depois de compradas, não devem ficar durante muitos meses no vaso onde vieram", alerta a arquiteta paisagista, blogger de jardinagem, autora de livros especializados e diretora da revista Jardins. "Independentemente da estação do ano em que compre as suas plantas, pode e deve sempre mudá-las de vaso", sublinha ainda a especialista.

2. Rega

Dosear a quantidade de água é um dos maiores desafios dos jardineiros amadores. "As plantas em vaso devem ser regadas com regularidade mas devemos deixar secar o substrato entre regas. Pode ver com um pauzinho se está molhado junto às raízes porque, à superfície, pode estar seco e, no fundo, molhado", refere Teresa Chambel.

3. Limpeza das folhas

É outra das tarefas essenciais. Devemos limpar as folhas das plantas de interior com um pano ou com um borrifador para evitar que fiquem com pó e que, depois, possam ter dificuldade em fotossintetizar. "Se forem pequenas, pode levá-las para a rua e dar-lhes uma mangueirada ou para a banheira e dar-lhes uma chuveirada. As suculentas e os catos devem limpar-se com um pincel", avisa a blogger.

4. Mudança de vaso

O tempo avança a uma velocidade estonteante e nem sempre nos damos conta dela, prejudicando as variedades botânicas que cultivamos. "Todas as plantas de interior em vaso, ao fim de dois ou três anos, devem ser mudadas para um vaso maior. Se o vaso for muito grande, deve ser retirada uma parte do substrato e colocado novo", refere Teresa Chambel.

5. Fertilização

É outra das tarefas a empreender. "Todas as plantas de interior devem ser fertilizadas mensalmente na primavera e no verão. Nos meses mais frios, não vale a pena, pois as plantas estão em dormência e não precisam de alimento extra. Não nos podemos esquecer que as plantas em vaso são nossas prisioneiras. Só têm aquilo que nós lhes colocamos", alerta a blogger.

6. Remoção das folhas

Há alturas em que caem mais do que noutras mas, tal como sucede com as partes secas, que devem ser cortadas regularmente e posteriormente removidas, com as folhas não deve ser diferente. "Devem sempre retirar-se as folhas secas pela base para evitar o aparecimento de pragas e doenças", afirma a arquiteta paisagista, diretora da Jardins e blogger, que escreveu os livros de jardinagem "Um jardim para cuidar" e "Um jardim dentro de casa", dois títulos publicados pela editora A Esfera dos Livros.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.