Vénus era a deusa romana do amor e por esse motivo deu nome ao planeta que, segundo os primeiros astrólogos, se percebeu ter um impacto mais direto sobre tudo o que diz respeito às questões afetivas da vida humana. A posição de Vénus num Mapa Astral demonstra de que forma a pessoa lida com os afetos e com a sua relação com os outros, quais são as suas expetativas em relação ao amor, a sua postura em matéria de relacionamentos e de que forma expressa a sua emotividade. Enquanto que a Lua expressa a maneira como lidamos com as nossas emoções, Vénus representa a maneira como as expressamos e, sobretudo, como as vivemos no contacto com os outros.

De cada vez que Vénus fica retrógrado, as questões afetivas sofrem um certo turbilhão. Este fenómeno é famoso por trazer de volta amores que ficaram por resolver, emoções que estavam guardadas no fundo da alma, anseios que não tínhamos consciência que tínhamos.

Neste ano, dado o contexto tão peculiar em que nos encontramos, estamos todos a lidar com as emoções de uma maneira mais próxima, na medida em que estamos circunscritos ao espaço das nossas casas, do trabalho e das tarefas que temos de fazer no exterior. O facto de não podermos socializar ou passear faz com que, naturalmente, tenhamos de enfrentar diariamente o encontro connosco mesmos. Portanto, encontramo-nos num equilíbrio mais instável, na maior parte dos casos, mas que é também propício a que compreendamos melhor quem somos e de que precisamos. Vénus retrógrado vem, pois, ajudar-nos nesse sentido.

Vénus estará retrógrado entre os dias 13 de maio e 25 de junho, num momento em que também os dois grandes protagonistas do ano astrológico - Plutão e Saturno - estão já retrógrados. Júpiter, que também está em destaque, ficará retrógrado também ainda este mês. O que podemos, então, esperar deste conjunto?

Vénus retrógrado representa uma espécie de renascimento emocional. Enquanto este trânsito dura, temos a oportunidade de curar velhas mágoas e feridas antigas. Para que essa cura possa ser feita, é provável que aquilo que precisa de ser superado reapareça, o que faz com que voltem ao de cima dores que estavam esquecidas. Onde houver falhas na nossa relação com os outros, elas terão de ser corrigidas.

Vénus encontra-se em Gémeos e, ficando retrógrado a 13 de maio, faz-nos questionar os assuntos do coração. A energia de Gémeos, que é mais mental do que emocional, ajuda-nos a indagar, a remexer nas motivações mais profundas e nas bases em que assentam os nossos sentimentos, ajudando-nos a compreender melhor por que motivo reagimos de determinada maneira a um certo estímulo. Uma vez que a influência deste planeta é geralmente apaziguadora, teremos maior facilidade em aceitar, perdoar, e seremos até mais condescendentes connosco mesmos.

Ativando o nosso chakra cardíaco, a nossa base emocional, Vénus retrógrado em Gémeos ajuda-nos a entrar em contacto com a nossa voz interior, fazendo-nos agir de acordo com aquilo que de facto sentimos e com o que realmente queremos. Este é um período favorável para refletir, analisar, compreender e, sobretudo, ouvir o coração, mas não é uma boa altura para tomar decisões precipitadas.

Sob a influência de Vénus retrógrado em Gémeos, é possível que nos deparemos com assuntos que foram importantes na nossa vida entre março e julho de 2012, já que este foi o período em que Vénus esteve retrógrado em Gémeos pela última vez, e assuntos que nos marcaram entre outubro e novembro de 2018, porque esta foi a última vez que Vénus esteve retrógrado.

No dia 3 de junho de 2020, Vénus formará uma conjunção ao Sol, o que é chamado o renascer de Vénus. A partir deste ponto, embora continue retrógrado até ao dia 25, Vénus ajudar-nos-á a alcançar uma maior clareza emocional, fazendo-nos chegar a conclusões importantes. Até lá, estaremos a fazer um processo de análise e introspeção e, nessa altura, são mais prováveis as revelações inesperadas e as epifanias.

Embora este seja um momento muito importante de esclarecimento pessoal, convém não esquecer que teremos, nessa altura, mais cinco planetas retrógrados (Mercúrio, Júpiter, Saturno, Neptuno e Plutão ) o que terá também um forte impacto na energia dominante.

Não conte com grandes mudanças nesse período. E, se está a pensar divorciar-se, evite fazê-lo (a não ser que esteja seguro). Se está à espera de encontrar um novo amor, seja paciente, porque até pode conhecê-lo nesta altura, mas conte com desenvolvimentos lentos.

A influência de Neptuno pode trazer-nos inspiração artística (sendo um período favorável à expressão) e, também, irá ajudar-nos a abrir o coração. Teremos de ter cuidado, ainda assim, pois também será mais difícil definir limites na nossa relação com os outros. Os dias 3 e 20 de maio e 27 de julho são datas-chave nesse sentido, pois são os dias em que Vénus forma aspetos exatos com Neptuno. Preste atenção às emoções que sentiu e irá sentir nesses dias.

A melhor forma de lidar com esta energia é comunicar abertamente com os outros sobre aquilo que sente e, especialmente, comunicar consigo mesmo, aprendendo a ouvir a sua voz interior e a dar voz ao seu coração.

Uma boa comunicação é essencial para um bom relacionamento - e Vénus retrógrado em Gémeos vem ensinar-nos a alcançá-la. Por outro lado, e devido à influência de Neptuno, preste também especial atenção aos seus sonhos, pois eles podem ser mais intensos nesta fase, trazendo-lhe respostas ou revelações.

Num momento em que temos de estar mais afastados dos outros, Vénus retrógrado ajuda-nos não só a compreender e a reconhecer melhor a importância que cada pessoa tem na nossa vida, como também nos desafia a aprimorar a nossa forma de comunicar, ajudando-nos a encontrar outras formas de proximidade.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.