Segundo um estudo internacional divulgado pela publicação especializada Journal of Sex and Marital Therapy, 37% das mulheres norte-americanas necessita de estimulação clitoriana para conseguir o orgasmo. Embora não existam dados para todos os países, na Europa a percentagem não deverá ser muito diferente, acreditam os investigadores. Também tem essa dificuldade? Descubra, de seguida, quatro regras infalíveis!

1. Explore o seu corpo sozinha

Não tenha medo nem vergonha. Toque-se, veja-se ao espelho, descubra os seus pontos erógenos, experimente um vibrador... Aprenda a gostar de si e a soltar-se! Tudo isto, segundo muitos sexólogos, nacionais e internacionais, fomentará a autoestima e contribuirá para uma maior confiança e naturalidade quando estiver com o seu parceiro.

2. Invista nos preliminares

Não tenha pressa de passar logo para a fase da penetração. Se dedicar mais tempo aos preliminares, eles vão ajudá-la a descontrair e a estar mais solta para a fase que se segue. Um bom banho a dois ou uma massagem são excelentes pontos de partida, aconselham os sexólogos.

3. Deixe as suas fantasias fluir

Imagine-se noutro espaço. Pense, por exemplo, numa praia deserta, num jacuzzi, num espaço público cheio de gente à volta, na cabine de um provador... A imaginação é, no fundo, o limite! Crie a envolvência ideal para ficar no ponto. Pode partilhar a sua fantasia com o parceiro ou vivê-la sozinha, de olhos fechados. A decisão é sua!

4. Foque-se mais

Quando estiver no auge, concentre-se no momento que está a viver e no prazer que está a sentir e deixe-se levar completamente, sem dúvidas nem receios. Esqueça o que a rodeia, esqueça o que ele pode estar a pensar de si, esqueça o facto de não saber o que dizer, esqueça o que se seguirá ao sexo, esqueça a celulite, esqueça tudo. Desiniba-se, sem preconceitos, apelam muitos sexólogos. Grite, cante, suspire, beije...

Quanto mais solta e desinibida estiver, mais prazer vai sentir e mais prazer também conseguirá dar a quem está consigo. Para que se possa sentir mais segura durante o sexo, o ideal é ter em mente algumas posições sexuais alternativas, para apimentar a coisa e também para surpreender o seu parceiro.

Texto: Sofia Santos Cardoso com Marta Crawford (psicóloga clínica e sexóloga)