6 soluções para rentabilizar melhor o subsídio de Natal

É, a par da do de férias, uma das transferências bancárias mais esperadas do ano mas, se não for racionalizar na sua utilização, desaparece num ápice. Veja o que pode fazer para o multiplicar.

As mulheres são tendencialmente mais conservadoras do que os homens no que toca ao investimento. Por isso, ganham menos dinheiro, mas também pedem menos, asseguram vários estudos internacionais. Conheça as dicas de Susana Albuquerque, especialista em finanças pessoais e autora do livro «Independência financeira para mulheres», publicado pela editora Estrela Polar, para investir o dinheiro do subsídio de Natal.

1. Amortizar crédito à habitação ou investir?

Investir, sem dúvida. «Neste momento, não recomendo abater o crédito à habitação, porque a maior parte dos portugueses ainda não subscreveu empréstimo com spread baixo e as taxas de juro que os depósitos pagam são, geralmente, mais elevadas», defende a especialista.

2. Onde investir?

Antes de o fazer, informe-se com quem sabe. «Quando procura um produto de investimento, certifique-se que a taxa de juro líquida é superior à taxa de inflação prevista, para existir um ganho real», recomenda Susana Albuquerque.

3. Como investir?

Não facilite. «De acordo com a pirâmide de investimentos, grande parte das suas poupanças devem estar investidas em produtos absolutamente seguros, como os depósitos a prazo. Estes têm zero risco e rendibilidades baixas, mas garantidas», sublinha a autora.

4. E se quiser arriscar?

Ao investir em ações pode multiplicar o seu dinheiro. «No entanto, há uma regra de ouro a seguir. Nunca aplique mais do que 10% das suas poupanças, porque tanto pode duplicar os seus rendimentos, como pode perder tudo», alerta Susana Albuquerque.

5. Qual é o melhor meio-termo?

Mais uma vez, o fundamental é não correr riscos. «Entre as ações e os depósitos a prazo, poderá investir em produtos com risco intermédio, como as obrigações de empresas. Neste momento, as taxas de juro destes produtos são melhores do que as dos depósitos a prazo», diz.

6. Que cuidados ter?

Seja qual for o investimento, é fundamental conhecer bem o produto no qual vai colocar o seu dinheiro. «Verifique qual o seu historial de rendibilidades e quanto paga de comissões e impostos», adverte Susana Albuquerque.

artigo do parceiro:

Comentários