Os alimentos que lhe garantem um equilíbrio holístico

Se come sem pensar no que está a fazer, pare. A aiurveda indica quais os ingredientes de que não deve prescindir para nutrir convenientemente o corpo, a mente e o espírito.

A aiurveda, uma das formas mais antigas de medicina holística, baseada na crença de que o corpo, a mente e o espírito devem ser mantidos em equilíbrio para uma saúde ótima, indica quais os ingredientes de que não deve prescindir. Manter a sua digestão a funcionar, dizer não a refeições processadas e preferir comida natural e caseira, de acordo com a sua constituição pessoal, tendo em conta as mudanças no ambiente à sua volta, muitas vezes é só o que precisa para encontrar o seu equilíbrio. O que já não é pouco!

Segundo a filosofia aiurveda, a digestão é mais importante que a nutrição e a recomendação é que os alimentos mantenham o equilíbrio constante dos doshas no corpo, sendo vistos como medicamentos. Numa culinária aiurvédica, o fundamental é uma cozinha simples e eficaz, acrescentando determinados temperos, apelidados de antídotos.

Além disso, as dietas são sempre modificadas de acordo com as estações do ano, o clima do dia e o momento da refeição. A Associação Portuguesa de Ayurveda salienta ainda que «o principal objetivo do aiurveda é aumentar o fogo digestivo ou seja a digestibilidade de cada pessoa», sendo necessário muitas vezes uma análise.

Torne as suas refeições mais felizes

A forma como comemos tem efeito na forma como nos sentimos. Assim, na dieta aiurvédica uma refeição feliz será colorida, fácil de digerir, preparada com amor e atenção. Terá o efeito de o fazer sentir mais leve, com mais energia e feliz. Em conversa com a Saber Viver, Wayne Featherstone, chef e autor do livro «Happy, Hyper or Heavy? Which Food Makes You Happy», assume que o seu interesse em aiurveda começou em 1995.

Surgiu quando entrou em contacto com a organização humanitária internacional Art of Living, que tem como missão contribuir mundialmente para uma sociedade livre de stresse e violência. «Ao longo dos anos aprendi que o que comemos tem um enorme impacto nos nossos níveis de stresse e no nosso bem-estar. O meu primeiro encontro com aiurveda foi quando tive uma consulta com um dos médicos de aiurveda da AOL», revela.

«Era uma médica de terceira geração vaidya (médico aiurvédico) e foi muito certeira no seu diagnóstico e muito clara do que devia fazer para voltar ao meu equilíbrio natural. Catorze meses de sensações abrasadoras em todo o meu corpo, foram erradicadas em três meses. Um tratamento com base na raiz e não no sintoma, impressionou-me. Isto e o facto de ter gostado tanto de comida vegetariana fez-me mudar de um chef normal, para me especializar em aiurvédica», prossegue.

A verdade é que depois de ter completado a sua formação em gastronomia ocidental tradicional e de ter trabalhado como chef na Holanda e França, Wayne Featherstone desenvolveu uma paixão pela culinária aiurveda e, desde então, estudou na Índia, no Canadá e na Holanda, tendo ainda viajado pela Europa e Caraíbas, onde tem dado formação de culinária aiurveda e palestras desde 2006. Para o chef, «a aiurveda mostra-nos como criar um estilo de vida equilibrado. Ajuda-nos a compreender a relação com o ambiente em que vivemos», diz.

«O princípio básico de que o mundo consiste nos cinco elementos, assim como nós e a comida que ingerimos, oferece uma ideia clara de como cozinhar de uma forma aiurvédica. É uma abordagem holística que observa o nosso ser e funcionamento como um todo. A nível mental, físico e emocional, dentro do contexto do ambiente (quente, húmido, seco, as estações, emprego, situação doméstica, etc.), a comida que escolhemos pode corresponder à nossa constituição pessoal ou não, mas se não corresponder cria desequilíbrios. A Aiurveda ajuda a evitar que isto aconteça», diz.

Veja na página seguinte: Os cinco elementos a ter em conta

Comentários