Alface

Os princípios ativos deste legume saudável e refrescante

Graças aos seus príncipios ativos, a alface, originária da Índia, é indicada para o tratamento da ansiedade, stresse e insónias. Pode ainda ajudar a aliviar dores e a combater alergias.

É também uma boa fonte de cálcio, ideal para prevenir a osteoporose.

Num estudo epidemiológico, realizado pela Agência Internacional de Investigação em Oncologia, em Lyon, o consumo de alface já mostrou ser benéfico em casos de doenças malignas.

Em 506 pacientes com cancro do pulmão não fumadores, o consumo de alface, tomate e cenoura foi associado a uma redução até 25% na incidência deste tipo de cancro, como comprovou o Cancer Causes Control, em 2000.

Origem

Existem registos de 2.500 anos antes da era cristã, na antiga Mesopotânia, sobre a utilização do lactucário, em cirurgias egípcias, como sucedâneo do ópio a nível de analgesia e sedação.

Princípios ativos

Os constituintes fitoquímicos estão contidos no lactucário, um sumo obtido a partir da alface e utilizado pela sua ação sedativa, relaxante e analgésica. Os mais importantes são a lactucina, lactucerina e a lactacina. Contém ainda quercetina (com ação alérgica e anti-inflamatória), asparagina (diurética e calmante), clorofila (antioxidante) e vários oligoelementos (iodo, níquel, cobalto, cobre e manganésio).

Principais propriedades

  • Tratamento da ansiedade, stresse e insónias.
  • O lactucário pode ser administrado a bebés a partir dos seis meses para regular o sono, podendo ser coadjuvado pelo tomate.
  • Emoliente, auxilia no tratamento da obstipação.
  • Pode ser utilizado externamente na acne vulgar e rosácea.

Comentários