A prática de mindfulness durante a gravidez traz benefícios no parto e pós-parto

A dor no parto e a depressão pós-parto podem ser minimizados com a prática de mindfulness durante a gravidez, revela um estudo.
créditos: pixabay

O medo do parto está associado a uma menor tolerância à dor durante o trabalho de parto e uma adaptação mais díficil ao papel de mãe.

No entanto, existem várias opções para as grávidas que enfrentam este problema. Uma abordagem Mindfulness, amplamente disseminada atualmente, pode aliviar os sintomas de dor crónica aguda e melhorar o estado psicológico da grávida (depressão pós-parto) quando utilizada durante a gravidez, indica o estudo Prenatal Education About Reducing Labor Stress.

Para o estudo foram observadas 30 mulheres que iam ser mães pela primeira vez e que se encontravam no terceiro trimestre de gravidez. Cada mulher respondeu a uma série de questionários: um antes do estudo começar, outro após completarem o curso de mindfulness, e outro a seguir ao nascimento do bebé.

A maioria das participantes revelaram preocupação com a dor no parto, enquanto que outras mostraram-se preocupadas com a depressão pós-parto. Um outro estudo já tinha demonstrado que as mulheres que tinham medo do parto, acabaram por ter partos mais longos (mais 47 minutos) dos que as que não demonstravam esse receio. Larissa Duncan, autora do estudo, afirmou que "a maior parte dos cursos de preparação para o parto não ensina as grávidas a lidar com a ansiedade do parto".

Para este estudo, metade do grupo frequentou aulas de mindfulness e a outra metade aulas de preparação para o parto. Durante o curso de mindfulness, as grávidas aprendem a usar a linguagem própria desta prática durante o processo do parto, assim como a atenção plena para lidar com a dor e o medo durante o trabalho de parto.

Depois de frequentarem este curso, as grávidas afirmaram que se sentiam mais preparadas para o parto e tinham menos probabilidade de usar anestesia. Estas mulheres também revelaram menos indícios de depressão pós-parto, comparativamente com as que frequentaram o curso normal de preparação.

Os resultados do estudo sugerem também que a aprendizagem das competências da atenção plena, pode ajudar as mulheres a gerir os sintomas da depressão pós-parto nesta nova fase das suas vidas.

Os investigadores pretendem realizar estudos mais alargados para analisar não só como a atenção/foco pode ajudar os casais a preparem-se para o dia do parto com uma maior facilidade emocional, assim como ajudá-los quando os filhos nascem.

artigo do parceiro: Susana Krauss

Comentários