Crianças e o chocolate podem ser amigos inseparáveis? Nutricionista diz que sim e explica porquê

O chocolate deve ser tratado como parte de uma dieta infantil saudável e não como um pecado autorizado ou prémio de bom comportamento, alerta a nutricionista Ana Pimenta Ribeiro.

O chocolate pode integrar a dieta dos mais novos e, como tal, deve ser tratado como alimento e não como prémio. Quem o diz é a nutricionista e blogger Ana Pimenta Ribeiro. Para esta especialista é fundamental ter uma alimentação variada e equilibrada: "o ideal é que a criança aprenda desde cedo a comer de tudo um pouco, inclusive chocolate. Moderação é a palavra de ordem", frisa.

Portugal tem das mais baixas taxas de consumo de chocolate da Europa, aproximadamente 1,7 kg/ano per capita enquanto a média europeia é de 5,2 kg.

Cacau quer dizer “alimento dos deuses” e o chocolate já foi mesmo usado como moeda de troca, mas agora e, para que seja percebido e consumido como alimento benéfico, é preciso que seja apresentado como um alimento, salienta a nutricionista. Segundo Ana Pimenta Ribeiro, o chocolate como prémio ou gratificação é algo que deve ser evitado.

A especialista aponta os 2 anos de idade como a altura em que as crianças poderão começar a consumir chocolate e recomenda que não o façam antes dos 12 meses. Refere ainda que: “Para a maioria dos especialistas, comer 30 gramas num dia é aceitável, desde que a criança não esteja acima do peso nem tenha nenhum problema de saúde relacionado".

Depois da refeição

Quanto ao modo como o chocolate entra na dieta, Ana Pimenta Ribeiro propõe que seja integrado no fim de uma refeição, sendo o seu consumo mais benéfico nessa altura do que de forma isolada pois, deste modo, evita que as taxas glicémicas tenham uma oscilação demasiado rápida que poderia levar a uma consequente sensação de fome. Tal como em relação a qualquer outro alimento, a recomendação é unânime: perante casos de excesso de peso, o melhor a fazer é consultar um nutricionista que poderá dizer como elaborar o plano alimentar tendo em conta as propriedades dos alimentos e as caraterísticas físicas de cada criança.

Os benefícios científicos (já comprovados) do chocolate

Comentários