Entrudo de Luanda cada vez mais visto por turistas

O Carnaval de Luanda, que se realiza esta terça-feira, na Nova Marginal da capital do país, tem atraído ano após ano mais turistas estrangeiros e nacionais à procura de diversão e apreciar a cultura nacional.
créditos: Angop

Na Nova Marginal é visível a presença de  turistas estrangeiros a fazerem fotos, se divertirem, dançar e fantasiados, e aplaudindo com a exibição de cada grupo que desfilava os seus dotes.

Em declarações à Angop, Carlos Paulo, de nacionalidade portuguesa, disse que aprecia  o Carnaval de Luanda, por ser uma festa muito divertida, onde os seus intérpretes têm procurado tirar o máximo proveito dos seus recursos culturais, resgatando assim a cultura da terra.

“É o segundo ano consecutivo que venho apreciar este evento, que me fascina todos os anos, e desta vez trouxe mais dois amigos portugueses, que vem pela primeira vez mas que também estão a gostar”, esclareceu.

Por sua vez, Rui Soldado, português, salientou que o Entrudo está a superar todas as expectativas, tendo feito uma comparação com o Carnaval feito na sua terra, onde a festa não é feita com o fulgor e competitividade como em Angola.

“O Carnaval da minha terra é um evento que é realizado um pouco por algumas cidades e zonas, mas que não arrasta tanta multidão como o feito no vosso país”, explicou.

Para Josefa Trigo, da província de Benguela,  disse ser a primeira vez que vem da sua província apreciar o Carnaval de Luanda e está a apreciar a competitividade, as cores, as alegorias que cada grupo tem apresentando.

“Está a ser um evento bastante bonito de se ver, quem sabe vou procurar transmitir o que tenho visto aqui em algum grupo da minha região, e quem sabe ganha a competição de Benguela”, acrescentou.

Natasha Kiluelu, de nacionalidade namibiana, fotojornalista, disse que o Entrudo de Luanda é uma das maiores festas do género realizada na região austral, e possivelmente de África, pela sua dimensão, popularidade, grupos, o que faz que seja bastante divulgada e comentada a nível da região, causando reportagens de órgãos de comunicação de vários países.

“Já troquei impressão com colegas jornalistas de países de África e de países da Europa, que mostraram emocionados em estarem a cobrir o Carnaval de Luanda”, finalizou.

Comentários